ARTE E CIDADANIA

ARTE E CIDADANIA NO ESPAÇO CULTURAL DO CONJUNTO NACIONAL

 

Espaço recebe exposição sobre o projeto Transformações – Arte Urbana e Cidadania - que incentiva a arte, a revitalização dos espaços públicos, o empreendedorismo social e a geração de renda no bairro do Grajaú, Zona Sul de São Paulo.

 

São Paulo, abril de 2015.

 

A partir de 04 de maio o Espaço Cultural do Conjunto Nacional – que fica no térreo da Avenida Paulista – será palco para a exposição Projeto Transformações – Arte Urbana e Cidadania. Quem for ao local vai conhecer mais sobre o Grajaú, bairro que desde 2014 recebe as ações do projeto. O Transformações incentiva a arte urbana como revitalizadora do espaço público. Artistas brasileiros conhecidos no mundo todo fazem parte do grupo que vem transformando os muros do bairro em telas para verdadeiras obras de arte.

A prática da arte urbana já era comum no bairro – assim como em outras regiões de São Paulo. Neste sentido, o Transformações surge como um mais um incentivo para a realização de novas obras e, o mais importante: para o envolvimento da comunidade nesse processo.

 

Vale ressaltar que o projeto oferece aos moradores do Grajaú oficinas artísticas com foco na geração de renda. Desde que começou o Transformações já envolveu a comunidade em cursos que proporcionam não só o contato com as práticas de arte, mas também incentivam o empreendedorismo.

 

É o resultado deste trabalho que estará exposto no Espaço Cultural do Conjunto Nacional. O público vai poder conferir um registro fotográfico das ações já realizadas. São imagens das oficinas criativas e do que vem sendo chamado de Galeria a Céu Aberto – as obras e intervenções dos artistas que preenchem e mudam a paisagem do Grajaú. Haverá também um vídeo com registro das obras de arte ao ar livre. Além disso, um dos destaques da exposição é uma instalação gráfica produzida com artistas convidados e jovens da comunidade.

 

Idealizado pelo atelier Pássaro de Papel e Via das Artes, o projeto tem a curadoria e direção de arte de Carola Trimano. A produção executiva é de Ana Maria Xavier. O programa pedagógico fica á cargo de Valéria Lopes. O Transformações é uma parceria do Imargem com patrocínio exclusivo da Atento S.A.

 

SERVIÇO:

Exposição Transformações – Arte Urbana e Cidadania

Local: Térreo do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073

Quando: 04 a 30 de maio

Visitação: Segunda a Sexta das 8h às 22h. Sábados, domingos e feriados das 10h às 22h

www.transformacoes.com.br

 

ARTISTAS:

Alexandre Orion

Carola Trimano

Conrado Zanotto

Enivo

Jerry Batista

Kaká Martins

Matias Picón

Mauro

Pas Schaefer

Tinho

Titi Freak

Zezão

 

ATENDIMENTO À IMPRENSA

AGÊNCIA TALES ROCHA

Nara Lacerda

(11) 99643 3432

nara@talesrocha.com.br

TAPEÇARIA ARTESANAL

O Espaço Cultural Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo) realiza no período de 23 de março a 15 de abril de 2015 a exposição “Tapetes do Benim”, reunindo 18 tapeçarias elaboradas pela artista africana Nelly Dénakpo, sendo que as peças são produzidas artesanalmente, tornando cada tapete único. O objetivo central de seus trabalhos é a preservação e promoção da cultura tradicional do Benim.

Nelly Dénakpo vive na cidade de Bohicon, localizada a 7 quilômetros da Capital histórica Abomey. É artista visual, cineasta, escritora, produtora cultural e diretora executiva da JPG (JEUNESSE PERSPECTIVE GROUPEMENT), uma associação destinada às mulheres e jovens de todo o mundo, que através de estágios ensina a técnica da tapeçaria artesanal. A associação também realiza importantes pesquisas etnográficas que colaboram para a organização de redes, locais e internacionais, garantindo que essa prática milenar não se perca, pois atualmente apenas algumas famílias praticam a tapeçaria no país.

 

 

Serviço:

Exposição: Tapetes do Benim
Local: Espaço Cultural Conjunto Nacional

Endereço: Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo

Período: De 23 de março a 15 de abril de 2015

Horário: Segunda a Sábado das 9 às 21 horas/Domingos e feriados das 10 às 21 horas.

Informações: Valkiria Iacocca – (11) 3253.9338 – 9.9942.8796

O SENHOR DOS PINCÉIS

O Espaço Cultural Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo) realiza no período de 23 de março a 15 de abril de 2015 a exposição “O Senhor dos Pincéis” exposição comemorativa dos 71 anos do artista plástico Waldomiro de Deus.

 

Em seu texto de apresentação, Enock Sacramento, curador da exposição, afirma que “A pintura de Waldomiro de Deus está carregada de brasilidade; o Brasil inteiro está dentro dela. Esta presença manifesta-se, sobretudo, em algumas direções: religiosa, política, histórica, das vivências, dos momentos produtivos, de lazer, de sonho e de alucinação. Impossível revelar todo o universo waldomiriano numa mostra de 39 obras. Então, que esta exposição seja “infinita enquanto durar”, que possibilite a aproximação do público de um rico caldo de cultura, de uma arte brut, às vezes intensa, às vezes leve como um voo de pássaro.

 

Oriundo do interior baiano, foi a partir de 1966 que Waldomiro de Deus conseguiu, no Brasil, maior visibilidade para sua obra ao participar, entre outras, da I Bienal Nacional de Artes Plásticas, realizada em Salvador. Nessa mostra, Waldomiro expôs três pinturas referenciadas em viagens interplanetárias, reveladoras de seu interesse pelos fatos marcantes do momento. Datam daquele ano suas primeiras exposições coletivas no exterior, realizadas na Rússia, Polônia e França. Essas participações abriram-lhe as portas da IX Bienal Internacional de São Paulo. A partir de então, sua participação em mostras internacionais se intensificaram.

 

Os últimos anos são de grande riqueza temática. Dentro da tendência de problematizar fatos de grande repercussão, pinta o desmoronamento das torres gêmeas de Nova York; o atentado numa estação de trens de Madri; conflitos no Oriente Médio; o desabamento de uma estação do Metrô em construção no bairro de Pinheiros, em São Paulo; tragédias ambientais, além de temas relacionados aos sentimentos humanos positivos ou negativos, alguns no limite, apocalípticos, surreais. A corrupção na política brasileira é escancarada nas séries Mensalão e Petrolão. Essas telas de impacto surgem em meio a outras de natureza histórica, religiosa e outras impregnadas de lirismo e de alegria de viver.

 

Waldomiro de Deus é um valor emblemático no contexto da arte brasileira e sua obra faz jus à sua popularidade.”

 

Serviço:

Exposição: O Senhor dos Pincéis
Local: Espaço Cultural Conjunto Nacional

Endereço: Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo

Período: De 23 de março a 15 de abril de 2015

Horário: Segunda a Sábado das 9 às 21 horas/Domingos e feriados das 10 às 21 horas.

Informações: Edemm Shalon – (11) 97966-0301

OS PAULISTANOS ILUSTRES

O Espaço Cultural Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo) realiza no período de 23 de janeiro a 12 de fevereiro de 2015 a exposição “Paulistanos Ilustres”, composta de 15 personalidades retratadas pelo cartunista Paulo Caruso. O objetivo da exposição será prestar uma homenagem à cidade de São Paulo, que em janeiro de 2015 completa 461 anos de sua fundação.

Entre os retratados, marcam presença nomes que fizeram parte da história de São Paulo e hoje são conhecidos pela população por batizarem ruas, praças e avenidas da cidade, como Joaquim Eugênio de Lima, Ministro Rocha Azevedo, Padre João Manoel, Haddock Lobo, Brigadeiro Luís Antonio, Frei Caneca, Peixoto Gomide, José Coelho Pamplona, Oswaldo Cruz, Bernardino de Campos, Leôncio de Carvalho e outros.

Os desenhos, que retratam as figuras em tamanho natural, serão instalados nas galerias do Conjunto Nacional de maneira que os personagens possam ser confundidos com os milhares de pessoas que diariamente circulam pelos corredores do edifício símbolo da mais paulista das avenidas.

 

 

Serviço:

Exposição: Paulistanos Ilustres
Local: Espaço Cultural Conjunto Nacional

Endereço: Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo

Período: De 23 de janeiro a 12 de fevereiro de 2015

Horário: Segunda a Sábado das 9h às 21h/Domingos e feriados das 12h às 21h

Informações: Valkiria Iacocca (11) 9.9942-8796 / (11) 3253-9338

Paulo Caruso: Telefone: (11) 3813-7686 – E-mail: paulocaruso@uol.com.br

A ARTE DA TRANSFORMAÇÃO

O Espaço Cultural Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo) realiza no período de 12 a 22 de janeiro de 2015 a exposição “Intervenções Sustentáveis”, reunindo uma série de obras elaboradas pelo artista Dercival Tamion.

 

Nesta exposição, Tamion apresenta 24 obras elaboradas com fragmentos de madeira reciclada recolhida em caçambas e canteiros de obras, compondo uma temática que nos remete aos grafismos rupestres e ao mesmo tempo à arte mural do Egito antigo, como também, no contexto latino-americano, à arte pré-colombiana dos países andinos.

 

Na concepção de sua obra, o conceito central é o reaproveitamento de materiais, que resulta numa composição fruto de pesquisas e estudos para criar trabalhos abstratos calcados na transformação e no tratamento da madeira e outros elementos. No seu processo de trabalho, a sustentabilidade não surge como adorno ou etapa da composição, mas como essência da obra. Tal prática e concepção, depois de anos de criação, se mostrou inteiramente pertinente dentro dos debates atuais que envolvem as novas práticas sustentáveis.

 

Tamion desenvolve uma linguagem própria, em consonância com os materiais disponíveis em seu meio. Em suas criações, ele acrescenta ao plano de pintura elementos incomuns: sobras de marcenaria, recortes de papel jornal e papel revista, lixas, estopa, terra, areia, cascas de madeira e outros resíduos. Suas peças, misto de pintura e escultura, trazem uso de pouquíssima tinta. A rica pigmentação é atingida em um longo processo de tratamento da matéria e alcança resultados surpreendentes!

 

 

 

 

 

Serviço:

Exposição: Intervenções Sustentáveis
Local: Espaço Cultural Conjunto Nacional

Endereço: Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo

Período: De 12 a 22 de janeiro de 2015

Horário: Segunda a Sábado das 9h às 21h/Domingos e feriados das 12h às 21h

Maiores informações: (11) 2047.3163/(11) 9.7540.4197 – tamion.art.br

Valkiria Iacocca: (11) 9.9942-8796/(11) 3253-9338

 

SÃO PAULO AOS 461 ANOS

O QUE ELA TEM A DIZER?

 

O Espaço Cultural Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo) realiza no período de 23 de janeiro a 12 de fevereiro de 2015 a segunda edição do projeto “Ela Diz”, criado em 2014 pelo jornalista Thiago Iacocca, e que tem como temática a cidade de São Paulo. Neste ano, será realizada uma exposição fotográfica desenvolvida pelo Coletivo Fotográfico São Paulo 461, um grupo de amantes da fotografia de rua, cujos integrantes se conheceram ao acaso durante suas andanças pela região metropolitana da cidade.

Em janeiro de 2015, a cidade de São Paulo completa 461 anos de sua fundação, e o objetivo do grupo foi produzir uma coletânea fotográfica evidenciando as especificidades e os detalhes poéticos subliminares que tornam esta cidade tão ríspida e, ao mesmo tempo, tão acolhedora, detalhes revelados pelos olhares atentos e perspicazes dos fotógrafos que compõem o grupo.

Um dos aspectos importantes deste projeto é o fato de ser realizado por um coletivo fotográfico, o que permite ampliar as possibilidades de percepção da cidade, partindo de um ponto de vista micro, individual, em direção a uma visão macro, grupal. O resultado é um mosaico que contempla visões diferentes sobre o mesmo tema: a cidade de São Paulo.

O grupo Coletivo São Paulo 461 é formado pelos fotógrafos Amanda Areias, Ana Luiza Secco Peres, Arnaldo J. G. Torres, Elza Albuquerque, Jotabê Arantes, Lulu Soares, Omar Assis, Osiris Lambert, Thiago Marin e Will Cavagnolli.

 

 

Serviço:

Exposição: Ela Diz
Local: Espaço Cultural Conjunto Nacional

Endereço: Avenida Paulista, 2073 – Piso Térreo

Período: De 23 de janeiro a 12 de fevereiro de 2015

Horário: Segunda a Sábado das 9h às 21h/Domingos e feriados das 12h às 21h

Informações: Valkiria Iacocca (11) 9.9942-8796 / (11) 3253-9338

Lulu Soares: Telefone: (11) 9.9800-2206 – E-mail: coletivorede@outlook.com

Terça, 18 de novembro

às 18:30

 

Livraria Cultura

01311940 São Paulo

Os 100 anos da padaria Basilicata

Livro da Editora Senac São Paulo traz fotos, receitas e histórias da tradicional família Basilicata.

Contar os 100 anos da padaria Basilicata é muito mais que descrever a trajetória e o crescimento de um estabelecimento comercial, é acompanhar a história da imigração italiana no Brasil, conhecer um pouco da Itália, como os imigrantes atravessaram o Atlântico e aprenderam a se adaptar à nova terra; descobrir um pouco das dificuldades que os descendentes italianos enfrentaram no Brasil durante a Segunda Guerra Mundial e, acima de tudo, notar a união desse povo que, mesmo longe da Itália, procurou formas de reunir conterrâneos e parentes e diminuir a saudade de sua terra natal.

E é na Basilicata onde eles encontram essa sensação de acolhimento e um perfume de casa italiana, vindo especialmente de seu pão. Todas essas experiências divididas por lá resultaram no livro Padaria Basilicata - Cent’anni di storia, que está repleto de histórias da Itália, da vida dos imigrantes, de sua adaptação em São Paulo, dos rituais e cerimoniais, dos costumes e tradições.

A publicação da Editora Senac São Paulo presta homenagem aos imigrantes que trabalharam para ajudar no desenvolvimento do país que os acolheu. Com fotos, relatos e receitas, Nicola, Vittorio e Angelo Lorenti, filhos de Salvatore e Raffaela; o primo Antônio Laurenti Neto, filhos de Ciccillo e Angelina; e Orlando Laurenti, filho de Domingos e Emilia, contam os detalhes desta jornada de trabalho e realizações, as histórias dos funcionários, a clientes e amigos, a segunda padaria Basilicata, assim como diversos aspectos da cultura do sul da Itália.

Em um século, a padaria se tornou um dos símbolos de São Paulo. Ao pensar em Basilicata, pensamos em uma mistura de odores, sabores, temperos, vindos dos pães saindo do forno, dos antepastos expostos, dos presuntos, dos queijos, com aromas múltiplos, salgados, picantes e amenos. A alegria nos invade diante do pão de peito, do filão, da ciabatta, das roscas recheadas, além do famoso cannoli, biscoitos amareto e muitas outras delícias. 

Entre as curiosidades, o livro relembra que o famoso pão filão era o grande astro dos finais do programa Zeloni Forno e Fogão, em que Gioia Stefanini, mulher de Zeloni, era a encarregada de fazer estalar o pão diante do microfone, revelando a necessária crocância do pão caseiro italiano.

“Se você não conhece, se nunca foi à Basilicata, se nunca ouviu falar, então não é paulistano, ou mesmo paulista, ou não gosta de comer. Quem não conhece a Basilicata ou é ruim da cabeça (e do estômago) ou é doente do paladar. Basilicata, arrebatamento, ventura, bênção, vida, sol, êxtase. Lugar de prazer, porta pequena se abre para um jardim interno de delícias. Sempre cheio, porém, estar ali é estar em paz, antegozando tudo que se vai levar. A pressa desaparece, os ansiosos se acalmam”, resumiu Ignácio de Loyola Brandão.

Exposição conta 100 anos de história da Padaria Basilicata

Entre 16 e 30 de novembro, o Espaço Cultural Conjunto Nacional receberá a exposição Padaria Basilicata – Cent’anni di storia, extraída do livro comemorativo do centenário da famosa padaria especializada na fabricação de pão artesanal típico do sul da Itália, instalada há 100 anos no mesmo endereço, no tradicional bairro do Bixiga, reduto da colônia italiana em São Paulo desde o final do século 19.

A exposição, que poderá ser visitada das 10 às 22 horas mostra a origem das famílias Ponzio, Laurenti e Lorenti, oriundos da Basilicata e Calábria, regiões do sul da Itália, que ao chegarem em São Paulo notaram a carência de produtos típicos de sua terra natal, principalmente do pão, que na época era a base da alimentação nas pequenas aldeias italianas. Assim, quando Filippo Ponzio abriu a Padaria Basilicata, na rua Treze de Maio, o sucesso foi imediato e perdura até hoje.

Obedecendo uma sequência cronológica, além de revelar os segredos da produção do pão, a exposição convida para uma viagem no tempo, mostrando imagens que marcaram a trajetória das famílias e as mudanças que ocorreram no bairro do Bixiga.

Sobre a autora:
Cheila Vargas é formada em letras pela Universidade de São Paulo e já atuou como professora em diversas instituições de ensino, como Senac, Sesi e Caminho Novo.

Arte que Nasce da Terra

Novembro 2014

DNA Italiano no Brasil

Novembro 2014

Cecília Leal

Novembro 2014

Please reload